images.jpg
Foto: Reprodução/Internet

Chefe da assessoria especial do Ministério da Cidadania, franciscano Betinho Fantinel avalia combate à pandemia na Região Central e no Estado

O chefe da Assessoria Especial Parlamentar e Federativa do Ministério da Cidadania, Roberto Fantinel, concedeu entrevista, após dois meses da última conversa, para o Panorama Geral, da Rádio Líder FM 104.9, e o Tribuna de Restinga, na manhã desta sexta-feira (17) e falou sobre assuntos como o recursos destinados para a cidade e região, pandemia, o ministério, entre outros. Ele irá ocupar em breve um cargo na Fundação Ulysses Guimarães. 

Natural de Dona Francisca, ele parabenizou a cidade pelos seus 55 anos de emancipação. 

“Quero aproveitar e parabenizar a todos que fazem Dona Francisca, os cidadãos, os moradores e todos que estão nessa terra querida”, parabeniza.

Como chefe da Assessoria a sua avaliação sobre Auxílio Emergencial, dado pelo Governo Federal, é positiva.

“É uma das grandes demandas que temos neste momento. Ela avançou muito bem, embora alguns tenham pegado indevidamente o valor. O Governo não tinha como criar mais empecilhos burocráticos, devido a ser um problema de emergência e calamidade. E agora estamos criando o mecanismo para coibir aqueles que tentaram trapacear o sistema”, disse.

Conforme Fantinel, são mais de 64 milhões de pessoas que receberam o auxílio. E quem recebeu indevidamente será penalizado judicialmente.

“Quem não é de direito certamente terá uma punição dos órgãos de controle do Governo e do Ministério Público”, salienta.

Em relação a administrar toda essa quantia gasta, Fantinel diz que o Governo Federal é necessário para conseguir fazer uma gestão no atual momento em que o país necessita entrar em ação.

“Este é um gasto que principalmente cuida da questão social. Não podemos esquecer que ele está sendo fundamental para a economia”, observa.

PANDEMIA

Fantinel diz que o Governo Estadual tem tomado medidas equivocadas e isso está atravancando a economia. Ele vê com muita preocupação o momento que se está vivendo, principalmente o Rio Grande do Sul. 

“No RS, com todo o respeito, o Governador Eduardo Leite, descabidamente tem feito os pequenos irem à quebra. Li uma notícia que 30% dos hotéis e restaurantes de Santa Maria podem fechar até o fim da pandemia. Isso é um dado preocupante, alarmante. E isso está nas contas dos gestores do Estado que tem tomado decisões equivocadas provocando um travamento na economia”, analisa.

Na visão de Fantinel se precisa de gestores com sensibilidade no enfretamento da pandemia para que possa sair bem diante do processo como um todo, mas também se sair bem no processo econômico.

“É preciso adotar novos protocolos no RS, estamos no meio do inverno e infelizmente a gestão atual não está se comportando de uma maneira pensando na população”, disse.

Sobre os recursos que o Ministério da Cidadania está disponibilizando para estes problemas meteorológicos no RS e Santa Catarina eles estão sendo realocados. O Chefe da Assessoria diz que o ministério irá ajudar na questão social os afetados dentro do orçamento disponível.

REFORMA TRIBUTÁRIA 

“Hoje a tributação é homogênea e faz com que o pobre que consome o produto da cesta básica pague mais do que o rico”, diz. E com a reforma Tributária Federal ela poderá trazer mais igualdade.

“É uma proposta liderada pelo presidente nacional, Baleia Rossi, é uma proposta boa e vai desonerar principalmente o pobre e acredito que vá adiante as votações”, diz.

A proposta Federal é diferente da Reforma proposta pelo Governo do Rio Grande do Sul.

Mudança de data das eleições municipais.

Na observação de Fantinel, a alteração foi bem vista. O Assessor espera que no mês em que ocorram as eleições tudo possa estar mais calmo. Os índices com menos casos e um pouco mais de tranquilidade. E elogia a gestão do prefeito de Restinga Sêca, Paulo Ricardo Salerno.

“Nós torcemos que tenhamos um momento melhor, com baixos índices de transmissão, e que nós possamos fazer uma eleição em que possamos debater, mais online, dos meios de comunicação, da rádios, dos jornais, dos sites, questões essenciais para os municípios”.

Fantinel vê Restinga Sêca bem gerida e é muito grato a cidade.

“Vejo a cidade com uma gestão muito qualificada, como o caso do prefeito de Restinga Sêca, Paulinho é qualificado e preparado e tem uma boa gestão”, analisa.
Ele diz que é entusiasta da cidade e entusiasta da Quarta Colônia e agora conseguiu através do Ministério da Cidadania a liberação de recursos tanto para a cidade quanto para a região.

“O Secretário da Agricultura me procurou e liberamos alguns recursos. E também estamos trabalhando na questão do Geoparque, que foram liberados R$ 750 mil para dar andamento ao processo de qualificação de mão de obra, principalmente qualificação das pessoas  do Cadastro Único. Sempre que posso estou ajudando a região”, diz.

IDENTIFIQUE-SE E LEIA A NOTÍCIA COMPLETA!


Já é assinante?

ENTRE AQUI

Não sou assinante

Assinar

Comentários



Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com a nossa Política de Privacidade e com os nossos Termos de Serviço