WhatsApp Image 2021-01-12 at 16.04.40.jpeg
WhatsApp Image 2021-01-12 at 16.04.41.jpeg
WhatsApp Image 2021-01-12 at 16.04.42.jpeg

Preço do gás sobe e irá impactar no orçamento dos restinguenses

Na primeira semana de 2021 a Petrobras reajustou o preço do gás liquefeito de petróleo (GLP), o chamado gás de cozinha. No último dia sete de janeiro foi anunciado o aumento de 6%.

O preço do gás de cozinha já foi reajustado 11 vezes em 2020. Com esse novo aumento, de maio de 2020 até janeiro de 2021, o valor do botijão de 13 kg só aumentou.
Anderson Renan Soares de Oliveira, proprietário da distribuidora Gás do Anderson alerta sobre o valor alto.

“Para nós houve 57% de aumento. É um aumento atrás do outro, sem contar a falta de vasilhame”, revela 

Ele vende o botijão ao preço de R$ 79,00 na porta e R$ 85,00 com a entrega. Se ele repassasse todos os valores do aumento o preço do gás iria saltar para mais de R$ 100,00.
“A gente tá aguentando pedindo desconto da distribuidora, não repassei os últimos valores para o consumidor, mas pedimos para o pessoal entender que não está sendo fácil pegar esta demanda e não repassar”, disse.

Oliveira entende que a população não quer pagar muito pelo botijão, mas acredita que uma hora o valor possa baixar novamente. 

“Ninguém quer pagar mais. A margem, a gente já não está conseguindo manter. Não há como saber de um novo reajuste, porque pode subir ou baixar o preço”, falou.
O gerente da distribuidora Gás do Zeca, Lazaro Lemos, também foi impactado pela alta do valor. 

“Há dois anos vendíamos o botijão a R$ 65,00, R$ 69,00 e ganhávamos algum lucro. Hoje ao preço R$ 80,00 (com a entrega) irá ficar complicado ter algum lucro”, aponta.
Lemos ainda tem o estoque antigo de botijão 13 kg, e o preço antigo cobrado, R$ 72,00 (na portaria) será mantido até que o estoque novo chegue.  Após a nova remessa o preço irá para R$ 80,00.

Para quem compra o gás de cozinha

De dois em dois meses a senhora Ângela Beladona, compra um botijão para fazer bolos e salgados que vende e mais cozinhar para casa. Com o aumento ficou mais complicado de manter um preço atrativo para os clientes.

“Muitas pessoas querem saber o valor dos centos de salgados e a gente passa o preço, mas em muitas vezes o cliente acha que está caro. Isso eu faço por conta dos custos, e o gás, que é um dos principais produtos que preciso para trabalhar”, explica. 

Ter que comprar um botijão a cada uma semana pesa no orçamento. A proprietária do restaurante Recuerdos, Débora Janaína Peixoto de Castro, compra essa quantia para que o restaurante possa fazer os alimentos todos os dias.

“Isso impacta no meu orçamento. Pelo preço do gás eu já fiz um aumento no preço da refeição. Infelizmente tive que repassar”, falou.

O que diz a Petrobras

O Tribuna de Restinga entrou em contato com a Petrobras que informou através de sua Assessoria de Imprensa que os preços de GLP praticados seguem a dinâmica de commodities em economias abertas, tendo como referência o preço de paridade de importação, formado pelo valor do produto no mercado internacional, mais os custos que importadores teriam, como frete de navios, taxas portuárias e demais custos internos de transporte para cada ponto de fornecimento, também sendo influenciado pela taxa de câmbio. Esta metodologia de precificação acompanha os movimentos do mercado internacional, para cima e para baixo.

Preços do gás de cozinha:

Anderson Gás

  • Preço - R$ 85 (entrega) e R$ 79 (portaria)
  • Local – Recinto Ferroviário 305
  • Telefone - (55) 3261-1655

 Pontual Distribuidora de Gás

  • Preço - R$ 85 (entrega) e R$ 75 (portaria)
  • Local – Avenida Júlio de Castilhos 2051
  • Telefone - (55) 3261-1162

Gás do Zeca

  • Preço - R$ 80 (entrega) e R$ 72 (portaria) – Estoque antigo
  • Local – Rua Afonso Potter 1619 em frente a Delegacia da Polícia Civil
  • Telefone - (55) 99617-5675

Comentários



Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com a nossa Política de Privacidade e com os nossos Termos de Serviço