WhatsApp Image 2019-11-21 at 10.02.34.jpeg
Alunos da Manoel Albino de Carvalho
WhatsApp Image 2019-11-20 at 16.50.22 (1).jpeg
Os alunos da Érico Veríssimo
WhatsApp Image 2019-11-20 at 16.50.22.jpeg
WhatsApp Image 2019-11-21 at 10.02.30.jpeg
O público que prestigiou a ultima sessão.
WhatsApp Image 2019-11-21 at 10.02.31.jpeg
"Love do Amor" foi gravado em Restinga Sêca.

Três sessões de exibição com muito debate sobre o curta “Love do Amor”

O curta-metragem “Love do Amor” foi lançado em três sessões na quarta-feira (20) no Plenário Nere Maria Beladona de Abreu da Câmara de Vereadores de Restinga Sêca. As exibições fazem parte da programação da 21° Semana da Câmara. Estiveram presentes o diretor Fabrício Koltermann, Senna Junior, Darcila Scheidt, o musico Keko Fontana,os diretores de fotografia do filme Bruno Fenner e Daiane Bedin, autoridades do município e os vereadores.

A primeira sessão foi na manhã do Dia Nacional da Consciência Negra, o filme do diretor restinguense foi exibido para alunos da Escola Manuel Albino Carvalho, da localidade de São Miguel, em Restinga Sêca. Após o filme gerou-se um debate sobre questões do racismo com os presentes.

“Apesar da pouca idade dos alunos da Manoel Albino, foi muito produtivo esse debate, aonde colocamos que, em qualquer lugar somos negros e não nos devemos ficar auto-ofendidos e sim erguer nossa cabeça.”, disse o ator principal do filme e premiado Senna Junior.

A segunda sessão foi a tarde com os alunos da Escola Érico Veríssimo, que  ir ver o filme faz parte das atividades do I Educa Erico promovido pela escola. “O pessoal participou, deu relatos, foi bem participativo com os alunos.”, disse Koltermann.

E fechando as sessões, o curta foi exibido à noite para o público em geral. Não houve muitas pessoas, mas as que prestigiaram fizeram um debate produtivo a cerca das questões do filme e da sociedade. “Quero saudar e parabenizar o nosso cineasta, Fabrício. O filme conduz realmente a uma reflexão sobre o racismo.”, destaca José Ari dos Santos que estava de expectador na sessão.

Para Koltermann o balanço das sessões foi bastante produtivo. “Foi bem legal, eu gostei bastante, os alunos da Manoel Albino vieram ai, questionaram, deram relatos. A noite foi um publico reduzido, mas muito interessante as pessoas que vieram, comentaram bastante sobre o filme e sobre o tema de racismo, fiquei feliz mesmo.”, disse o diretor.

Fotos: Tribuna Online e Roger Bolzan/Assessoria de Imprensa da Prefeitura

IDENTIFIQUE-SE E LEIA A NOTÍCIA COMPLETA!


Já é assinante?

ENTRE AQUI

Não sou assinante

Assinar

Comentários



Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com a nossa Política de Privacidade e com os nossos Termos de Serviço