DSCN5132.JPG

Câmara elege nova diretoria e aprova orçamento municipal para 2018

A penúltima sessão da Câmara de Vereadores de Restinga Sêca, realizada no dia 18 de dezembro, foi de decisões importantes. As principais foram a escolha da nova mesa diretora e também a aprovação do orçamento municipal para 2018. O novo presidente da casa será o atual vice, vereador Mauro França da Costa (PMDB). Já no que se refere as finanças, o prefeito Paulinho Salerno terá à disposição R$ 48 milhões para gerir o município durante todo o ano. 

Ao lado de Mauro França estarão o vereador Norton Soares, como vice-presidente, e Tiago Cantarelli (atual presidente), como primeiro secretário, ambos do PMDB, e Caio Magoga (PDT), como segundo secretário. A chapa foi aprovada por unanimidade.

“Foi uma experiência muito boa (ser vice-presidente). Tive o convite do presidente Tiago, que já foi eleito em outros anos, e me passou uma confiança muito grande. Aprendi muito com ele. Fico muito feliz em ter colocado a minha chapa, com ele, com o Norton e o Caio. Quero dar continuidade nesse trabalho que tem sido feito com muita responsabilidade. Fiquei muito feliz em ter o apoio de todos os outros colegas. A questão partidária tem que ser deixada de lado quando discutimos coisas que interessam ao melhor do município”, destaca Mauro.

O atual presidente, vereador Tiago Cantarelli, destacou o trabalho feito durante 2017, e principalmente os recursos devolvidos a prefeitura, que nesse ano pode chegar aos R$ 240 mil.

“Agradeço aos colegas que neste ano trabalharam conosco de uma maneira muito integrada. Acredito que fizemos um trabalho bom. Reflexo disso é a redução do orçamento da Câmara. Vamos devolver ao Executivo aproximadamente R$ 240 mil, são recursos que vão sobrar aqui e que vão servir para o município aplicar no custeio da máquina pública”, afirma Tiago.

Além disso, Canterelli ressaltou os projetos que foram aprovados nesta penúltima sessão, como a lei que autoriza incentivos a empresas que geram empregos no município, como a Calçados Restinga.

“Aprovamos projetos importantes, como a lei que permite incentivos fiscais e auxílio aluguel a algumas empresas. Uma delas é a fábrica de calçados que está onde funcionava a antiga Reiffer, a Calçados Restinga. E é um valor baixo, são R$ 2.350, para manter o emprego de 54 famílias, é dinheiro que gira no nosso município. Além do mais, futuramente, podem-se aumentar essas vagas”, reforça Tiago.

 

Comentários