DSCN4141.JPG

Professores pedem apoio à Câmara por fim do parcelamento

 

Na sessão ordinária da Câmara de Vereadores do dia 25 de setembro, o plenário da casa ficou lotado por professores da rede estadual de ensino e também por alunos. Os educadores da Escola Estadual de Ensino Fundamental Francisco Manoel pediram um espaço na sessão para pedir o apoio dos vereadores restinguenses na luta contra o parcelamento dos salários do governo estadual, que chega ao 21º mês consecutivo.

“Demonstramos a nossa gratidão ao espaço que foi aberto para nós. É uma forma alternativa de nos manifestar. Programamos ações que pudessem envolver a comunidade e o mais número de pessoas possível, e uma delas foi vir até a Câmara. Tivemos a felicidade em ver a casa lotada, com muitos alunos, e que os vereadores, mesmo de diferentes bancadas, se pronunciaram favoravelmente a nossa causa”, ressalta a professora Helenise Malhke, que foi a porta-voz na tribuna da Câmara.

Ficou decidido que os vereadores irão encaminha ao governador José Ivo Sartori (PMDB) uma moção de repúdio pelo parcelamento dos salários. E aos deputados estaduais, uma moção para que aprovem o plano de recuperação fiscal do Estado, projeto que deve chegar à Assembleia Legislativa.

“Foi uma sessão longa, mas muito proveitosa. Recebemos um ofício em que a escola Francisco Manoel solicitou o uso da tribuna para falar sobre o parcelamento dos salários. Eles nos pediram apoio, frente ao governo do estado e aos nossos deputados. Vamos apresentar algumas moções na próxima segunda-feira (2), repudiando o parcelamento dos salários. A segunda, é destinada aos deputados, solicitando responsabilidade no voto do projeto do plano de recuperação fiscal do estado”, explicou o presidente da Câmara, vereador Tiago Cantarelli (PMDB).

Todos os vereadores reforçaram sua indignação com a situação, tanto os de partido de oposição, quanto os da situação.

“Os professores vieram colocar essa dificuldade. É algo muito grave. É um absurdo. Não consigo entender um governo que parcele o salário dos professores. A educação é o carro-chefe da nossa sociedade. Uma boa educação tira o menino da droga, a menina da prostituição. Vamos fazer uma moção da nossa inconformidade para o governador e os deputados”, destacou o vereador da oposição Elton Almeida (PSDB).

Além da escola Francisco Manoel, há outra estadual em Restinga Sêca que é a Érico Veríssimo, única de ensino médio do município, e que está em greve.

 

 

 

 

Comentários